Ranking Web of Repositories: registros indexados pelo Google Scholar

Atualizado: Fev 19

Eliana J. Bernardes

eliana@ufla.br

http://lattes.cnpq.br/6684422142547096


A forma como os repositórios são configurados e alimentados, impacta na forma como seus dados são pesquisados e recuperados on-line e, desta forma impacta na sua presença na web.

Os repositórios institucionais de acesso aberto são sistemas de informação que reúnem, organizam, preservam e disseminam as informações e pesquisas produzidas por universidades, órgãos governamentais e outros. Eles funcionam como uma vitrine de tudo o que é pesquisado em determinada instituição.

A forma como os repositórios são configurados e alimentados, impacta na forma como seus dados são pesquisados e recuperados on-line e, desta forma impacta na sua presença na web. Universidades e órgãos de pesquisa precisam, e devem, ter uma presença na web condizente com o seu nível de excelência em seus respectivos campos de pesquisa.

Atualmente, a mais famosa autoridade para medida da presença e impacto de repositórios de acesso aberto na web é o Ranking Web of World Repositories, organizado pelo Conselho Superior de Investigações Científicas (CSIC) da Espanha. Periodicamente, o ranking divulga a lista dos repositórios indexados pelo Google Scholar.

A 10ª edição, referente a setembro de 2020, já está disponível e traz 4 listas de repositórios, em ordem decrescente, das quantidades de registros indexados pelo Google Scholar. Do ponto de vista dos repositórios brasileiros, os três que mais se destacaram no período avaliado (3a semana de setembro de 2020) foram o LUME, da UFRGS, a Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP e o Repositório Institucional da Universidade Federal de Santa Catarina. Os demais repositórios brasileiros avaliados estão na figura abaixo.


Segundo o editor do ranking, Isidro F. Aguillo, foi observado que a indexação, pelo Google Scholar, de vários repositórios de acesso aberto não estava tão completa como as anteriores. Ainda de acordo com o editor, este fato pode ser devido a erros nas descrições de metadados, que desta vez foram penalizados pelo Google Scholar. O editor sugere que as instituições afetadas revejam seu nível de indexação e consultem as diretrizes de indexação do Google Scholar, bem como indica um material com dicas de como tornar o repositório indexável pelo Google Scholar.

Mais informações sobre o ranking e as listas completas de todos os repositórios avaliados podem ser consultadas em https://repositories.webometrics.info/en/cris .


Referências


MEDEIROS, S. A. Política pública de acesso aberto à produção científica: o caso do Repositório Institucional da Universidade Federal de Lavras. 2013. 258 p. Dissertação (Mestrado Profissional em Administração Pública) – Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2013.


TRANSPARENT ranking: CRIS by Google Scholar (September 2020). Disponível em: https://repositories.webometrics.info/en/cris. Acesso em: 23 nov. 2020.


Como citar:

BERNARDES, E. J. Ranking Web of Repositories: registros indexados pelo Google Scholar. Ciência da Informação Express, [S. l.], v. 1, n. 2, 24 nov. 2020. DOI: 10.6084/m9.figshare.13282007. Disponível em: https://www.cienciadainformacaoexpress.com/post/ranking-web-of-repositories-registros-indexados-pelo-google-scholar


Teaser