Storytelling com dados: proposta de visualização de dados de pesquisa científica

Atualizado: 3 de nov.

por Augusto Ribeiro Silva


Há história em seus dados de pesquisa. "A visualização de dados e a comunicação com dados em geral situa-se na interseção entre a ciência e a arte" (KNAFLIC, 2019, p. 223).

Neste texto, resenha-se o livro Storytelling com dados: um guia sobre visualização de dados para profissionais de negócios, de autoria de Cole Nussbaumer Knaflic, traduzido por João Tortello e publicado a primeira vez no Brasil, em 2018, pela editora Alta Books. A autora é bacharel e mestre em Matemática Aplicada, ambos pela Universidade de Washington. É especialista na apresentação eficaz de informações quantitativas, escreve para o blog Storytelling With Data. Desenvolveu-se por meio de atividades e funções analíticas em bancos, participações privadas e, mais recentemente, como gerente da equipe People Analytics da Google, ministrando cursos sobre visualização de dados em escritórios da empresa em diversos locais dos Estados Unidos e da Europa. Atuou também como professora assistente no Maryland Institute College of Art (MICA), onde lecionou a disciplina de Introdução à Visualização da Informação.


Instigante, a obra discorre sobre como contar histórias com dados, ensinando os fundamentos da visualização de dados e como se comunicar efetivamente por meio deles. Para Gallo (2019, p. 5-6) “[...] aqueles que dominam a habilidade do storytelling podem ter influência desproporcional sobre os demais. A arte do storytelling é sua mais poderosa arma na guerra das ideias”. Rodrigues e Dias (2017, p. 2022) explicam que a visualização de dados “[...] vem se tornando mais frequente, tanto do ponto de vista de abordagem acadêmica, quanto do ponto de vista de alargamento dos usos na mídia impressa e digital, tornando-se comuns como modelos que visam à representação visual de grandes volumes de dados”. Em uma perspectiva acadêmica e científica, é importante lembrar que o pesquisador precisa contar as histórias de suas pesquisas, na maioria das vezes por meio da comunicação ou da divulgação científica, de forma convincente.


Em conformidade com as palavras de Gallo (2019, p. 5-6) o storytelling pode ser entendido como “[...] parte fundamental da comunicação, pois em um mundo em que as pessoas são bombardeadas por escolhas, as histórias constantemente são o fator decisivo pelo qual decidimos fazer negócios com alguém”. No mundo acadêmico, pode incidir sobre a aprovação de projetos de pesquisas, captação de recursos, bolsas de estudos ou mesmo a publicação de artigos de periódicos.


A obra de Knafkic (2019) aborda o poder de contar histórias com dados. O storytelling, além de ser entendido como uma forma de tornar os dados um ponto central em sua história, pode ser aplicado nas mais diversas realidades. O livro ultrapassa a apresentação de ferramentas tradicionais para alcançar a essência de seus dados e como utilizá-los para criar uma história envolvente, informativa e convincente. São retratadas lições importantes na teoria com exemplificações práticas. É composto por dez capítulos que abordam desde a relevância do contexto da história apresentada, transitando por questões mais técnicas como opções de visual, saturação, dissecagem de modelos, perpassando por recomendações para atrair a atenção do público, dicas de storytelling e por fim, nota-se que ao longo do texto e no último capítulo são discutidos alguns estudos de casos, ilustrando os conceitos expostos.


Como observações críticas é mister destacar a didática apresentada na obra de Knaflic (2019). Tem como pontos fortes as ilustrações, os exemplos de uso e os estudos de casos. Embora, as linhas textuais indiquem a aplicação deste guia para área de negócios é inegável o seu poderio para a área de comunicação científica e visualização de dados científicos. Os pesquisadores devem ter a preocupação de socializar o conhecimento gerado por meio das suas pesquisas, suas descobertas e inovação. Tarefa nem sempre fácil! Entretanto, a obra analisada se apresenta como uma excelente ferramenta para tradução das pesquisas para uma linguagem mais acessível. Em tempos onde a transparência da pesquisa é valorizada, por meio de práticas de Ciência Aberta que ditam as regras do modus operandi de fazer ciência, atentar-se para uma boa visualização dos dados parece ser a tônica do momento. Assim, esta obra merece ser amplamente disseminada no meio acadêmico.

Referências


GALLO, Carmine. Storytelling: aprenda a contar histórias com Steve Jobs, Papa Francisco, Churchill e outras lendas da liderança. Rio de Janeiro Alta Books 2019.


KNAFLIC, C. N. Storytelling com dados: um guia sobre visualização de dados para profissionais de negócios. Rio de Janeiro: Alta Books, 2019. 256 p.


RODRIGUES, A. A.; DIAS, G. A. Estudos sobre visualização de dados científicos no contexto da data science e do big data. Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação e Biblioteconomia, João Pessoa, v. 12, n. 1, 2017. DOI: 10.22478/ufpb.1981-0695.2017v12n1.34774 Acesso em: 19 ago. 2022.


Dados biográficos do autor

Augusto Ribeiro Silva é MBA em Data Science & Analytics pelo programa de pós graduação da Universidade de São Paulo (USP/ESALQ). Graduado em Engenharia Florestal pela Universidade Federal de Lavras (UFLA). Estuda ciência de dados e desenvolvimento de software.

augusto7410@gmail.com

https://www.linkedin.com/in/augustors/

 

Como citar:

SILVA, A. R. Storytelling com dados: proposta de visualização de dados de pesquisa científica. Ciência da Informação Express, [S. l.], v. 3, 26 ago. 2022.

 

Teaser




102 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo